Painel 2: Índia

No painel 2, os mestres Anderson Cardozo e Pedro Gustavo Cavalcanti trazem alguns aportes que buscam entender a Índia no cenário internacional.

Msc. Anderson Cardozo – Núcleo D&R
ÍNDIA: PARCERIAS POLÍTICO-ESTRATÉGICAS E INSERÇÃO NO CONTINENTE ASIÁTICO

O contexto pós 1991 além de marcar transformações internacionais com o fim da Guerra Fria, é emblemático quanto à inflexão do paradigma de desenvolvimento da Índia, que passa a ter como base preceitos liberais, sobretudo, a partir do conjunto de reformas econômicas. No campo político-estratégico, há um direcionamento de inserção regional, conferindo novos contornos com países influentes da região. Atualmente, China, Estados Unidos e Japão estão entre esses atores que exercem maior peso econômico e político no continente asiático.
A ascensão da China como potência regional a coloca com central para o projeto indiano, ao mesmo tempo em que, na ótica norte-americana a Índia é vital para contrabalançar uma hipotética política expansionista chinesa no continente. O Japão, com seu relevo regional e por ser um parceiro estratégico dos Estados Unidos entraria nesta política de contenção aos chineses ao lado da Índia, dando uma nova configuração a geopolítica da região neste início de século XXI.
A Índia, por sua vez, vem se destacando internacionalmente pelos altos índices de crescimento econômico, pautado, sobretudo, pela globalização de sua economia, fato que vislumbra interesses e parcerias de acordo com esta realidade.
Neste sentido, o relacionamento que a Índia desenvolverá com esses Estados, em grande parte, definirá seu papel na Ásia e no cenário internacional, e é com esse propósito de análise que o presente trabalho visa se desenrolar.

Msc. Pedro Gustavo Cavalcanti – Núcleo D&R
O SECULARISMO REINVENTADO INDIANO

A concepção de secularismo nos países do Sul está intrinsecamente ligada aos recentes processos de democratização e de separação da esfera estatal e religiosa, sendo a Índia, um dos países nos quais as potencialidades entre religião e democracia mais claramente se manifestam. O país, constitucionalmente secular, é um dos casos distintos dessa relação. A análise da construção do seu secularismo se destaca por possuir paradoxalmente uma gama de instituições políticas que embora não necessariamente religiosas, interagem diretamente com instituições e racionalidades religiosas influenciando no balizamento de sua democracia. A Índia tem uma sociedade profundamente religiosa, onde a religião e a modernidade caminham juntas, tendo o hinduísmo como fator de nacionalidade num cenário democrático multipartidário. Nesse sentido, o país desenvolve características de um secularismo singular e reinventado (considerando o conceito ocidental europeu).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s